.Bem-vindo a Portugal no seu pior
Portugal não é só um país de maravilhas. Anda por aí muita coisa a precisar de arranjo: nódoas urbanísticas, atentados ao ambiente, estradas perigosas, poluição, espécies ameaçadas, etc. O "Tal&Qual" conta consigo para apontar as aberrações a precisar de acção mais rápida. Neste blog, pode consultar as escolhas de alguns convidados, indicar as suas, comentar, debater e até votar. Ajude-nos a chamar a atenção para o que está mal.
.Aberrações recentes

. Quarteira vence “As Grand...

. "O meu estádio é bonito"

. André Sardet

. Arons de Carvalho

. Paulo Andrade

. Adolfo Luxúria Canibal

. Fernando Negrão

. "Ninguém mexe no ninho"

. Leonel Moura

. Anthímio de Azevedo

. Miguel Relvas

. Polémico e estranho "piri...

. Isaltino Morais

. Teresa Caeiro

. Carlos do Carmo

.Arquivos
.tags

. todas as tags

.Outros locais pouco recomendáveis
Quinta-feira, 21 de Junho de 2007
Nota

Gostaríamos de informar os nossos visitantes que a equipa "T&Q" não tem qualquer reponsabilidade pelas aberrações escolhidas pelas personalidades que colaboram nesta iniciativa.

Limitamo-nos a colocar on-line as respostas que nos chegam.

tags:
publicado por talequalmente às 17:05
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Mimi a 21 de Junho de 2007 às 21:29
A minha escolha é fácil qto a aberrações:
1- Conformismo português e Ganância lusitana.
2- Governos e seus Deputados.
3- Parasitas económicos e sociais.
4- Jobs for the boys vence mérito próprio.
5- Recibos verdes.
6- Jovens sem Futuro.
7- ... por culpa de mentalidades velhas e de velhas pessoas com um egoísmo extremo que deram erros sem retorno.

Solução: Já o povo dizia: Mata-se o animal e acaba-se a peçonha. Porém, não vivemos em tempos antigos e essa não pode ser a solução (Direitos Humanos e blá blá blá). O povo tem de deixar de estar de braços cruzados a ver a sua vida arruinada por meros senhores do dinheiro. Há solução. E para bom entendedor, meia palavra basta.
De Armando Martins a 22 de Junho de 2007 às 21:58
Tenho muitas dúvidas de quase tudo que vejo em blogs. Mas gostaria de contribuir com a minha experiência, na área das superstições , porque só acredito no que vejo. Isto vem a propósito do falso padre, (Agostinho Coutinho Caridade) que conheço pessoalmente, bem como a sua familia.Sabem como ele enveredou pela carreira de "vigarista"?
Porque sabia da ignorância da sociedade que o rodeia . Até saiu em liberdade depois de ouvido pelo magistrado. Será que a instituição da Igreja não emite uma carteira profissional, após a ordenação do sacerdócio ? Pelos vistos só não.
De Mariana a 21 de Junho de 2007 às 22:13
Reponsabilidade não tem e responsabilidade?
De Mariana a 21 de Junho de 2007 às 22:14
E responsabilidade tem?
De Manuel da Gaita a 21 de Junho de 2007 às 23:13
Porque é que um gajo para comentar aqui, quase lhe exigem para criar um blog no Sapo?

Num pais onde dão o nome de uma vitima da aviação a um aeroporto (Sá Carneiro) e agora querem fazer outro num campo de tiro (Alcochete), faz deste pais uma espécie de aberração contra-natura .

Numa nação onde dão aos navegadores nomes de rodovias (Via do Infante) e pontes (Vasco da Gama), esse país só pode ser considerado uma espécie de Entrocamento à escala global. Cheia de casos esquisitos, cómicos e revoltantes, mas na maior parte das vezes apenas um lastimar "se fosse de outra maneira teria corrido melhor".

Somos um país que se orgulha muita da forma de arrotar, de peidar , de fazer amor, onde Zézés Camarinhas são capa de revista e onde tudo gira à volta do futebol, e assim Portugal não terá futuro nem Novas Oportunidades. Ressalvo aqui o chouriço, a queijada, a sardinha e o vinho, para não falar do icon nacional chamado Galo de Barcelos, que efectivamente são produtos nacionais de reconhecida qualidade em todo o mundo. Mas são um segredo muito bem guardado e serão a chave do sucesso do V Império.

Nos casos extremos, também somos capazes de opinar sobre quem nos governa, mas sempre para dizer mal. É o meu caso. Elegemos os gajos, mas depois está tudo mal feito. Elegemos o Sócrates sem ler o programa eleitoral e depois queremos que ele não o cumpra.

Num país onde um concurso rasca mas pretencioso , elege como melhor português de sempre um ditador, não merece melhor sorte. E mais grave ainda, é quando os analistas não sabem distinguir o que é um concurso de uma eleição.

Ainda não sei muito bem se a culpa é de Portugal ou dos portugueses, ou se, existem culpados. Talvez seja um designio nacional, o nosso fado, a nossa forma de estar na vida. A estranha sensação masoquista de nos dar gozo sermos os piores nalguma coisa. A certeza de que se os outros conseguem fazer mal, nós conseguimos fazer bem pior.

Há 20 anos, era eu chavalo , e o Tal & Qual era o meu jornal de referência, aquele com quem eu me identificava. Não sei se fui eu que me modifiquei, se foram os conteúdos do jornal que se modificaram e deixaram de ter interesse para mim. Sempre que aos Sábados vou comprar o Expresso e o Sol, dou uma olhadela na capa do T&Q na esperança de novo me cativar. Mas não, e a esperança fica adiada para a semana seguinte.

Peço desculpa de 3 coisas:
1. pelos erros ortográficos mas estou a escrever sem corrector ortográfico.
2. pela forma, mas não sou jornalista e estou a escrever ao correr da pena (neste caso do teclado)
De Mimi a 26 de Junho de 2007 às 21:28
Caro Manuel,
Há poucos, e identifico-me no grupo, que querem mudar as coisas e que lutam todos os dias para que sobretudo interesses económicos e políticos não nos cortem as pernas. Não é só criticar e dizer umas verdades. Há que agir camufladamente para atingir através do efeito surpresa o podre da raíz de forma a poder arrancá-la.
De rui_amaral a 22 de Junho de 2007 às 14:34
É o chamado "sacudir a água do capote".

Comentar post

.Não fique calado!
Faça perguntas difíceis. Apresente as aberrações que conhece. Discuta e faça sugestões. Disponha sempre do nosso mail: equipatalequal@sapo.pt
.Procure aqui a sua aberração preferida